CAFÉ: DO COADO Á PRENSA FRANCESA

Atualizado: 28 de abr. de 2020


Acordar e fazer café... Acho que esse hábito começou logo quando criança. Eu costumava acordar bem cedo, ir á padaria comprar 4 pãezinhos e um litro de leite B, "escalar as paredes do elevador" para conseguir apertar o botão do meu andar, chegar em casa e fazer um belo café. E antes mesmo de conseguir alcançar o botão do 16o andar, eu já tinha dado adeus ao açúcar e ao adoçante no café.

Em casa eram caixas e caixas de Melitta para suprir a demanda de uma família viciada em café. Quando sai de casa não foi diferente... Comprei uma máquina de expresso assim que me mudei pra Espanha e me arrependo todos os dias de ter deixado ela por lá... Vieram dolce gusto fingindo fazer um café descente e depois a Nespresso trazendo alegria entre um trabalho e outro. A uns quatro anos durante uma viagem ao Chile, comprei uma cafeteira Italiana e ano passado uma amiga presenteou meu rommie com uma prensa francesa e é aqui que estamos atualmente.


SENTA QUE LÁ VEM HISTÓRIA

Desde a primeira patente, a prensa francesa já passou por algumas melhorias e todas elas patenteadas. Acredita-se que o que temos hoje é o resultado final de um processo muito comum usado antigamente em algumas regiões da França e posteriormente na Itália, onde eles colocavam grãos de café e água quente em uma jarra e usavam um pano (normalmente usado para fazer queijo) que ficava preso em uma vareta para separar o líquido dos grãos... A primeira patente foi feita pelo design Attilio Calimani na Itália em 1929 e posteriormente em 1958 Faliero Bondanini patenteou na França uma nova versão com melhorias. O modelo ficou popular em toda Europa nos anos 60.

Aqui no Brasil ficou conhecida como Prensa Francesa, uma tradução livre do nome em Inglês Norte-Americano: French Press. Na França ela é chamada de cafetière à piston ou simplesmente cafetière. Na Grã Bretanha e Irlanda ficou o nome mais simples com influência francesa: cafetière.


COMO USAR A PRENSA FRANCESA?


O café é escolha fundamental nesse momento. Moer os grãos na hora faz toda a diferença, o sabor é mais presente assim como os aromas se intensificam. Uma boa ideia é investir em um moedor de café.


1. Escalde a jarra com água quente. Esse processo ajudará a manter o café quente por mais tempo, mas não faz milagre! A prensa francesa não é uma garrafa térmica! Descarte a água.

2. Moa os grãos. Eles devem ficar no tamanho de sal marinho! Se for utilizar café já moído, certifique-se de que o grão foi moído para prensa francesa. Adicione os grãos recém moídos na jarra da prensa.

A proporção recomendada é de 30gr de grãos de café para 500ml de água. Isso pode variar de acordo com seu paladar e do grão utilizado. Eu recomendo a proporção de 10 gramas de café para 180ml de água quente.


3. Adicione água quente, entre 90 e 96°C, molhando todos os grãos. Lembre-se que a água utilizada pode alterar o resultado final, então de preferência para água mineral ou filtrada. Água alcalina pode alterar até a cor do café e da torneira pode ter muito cloro alterando o sabor.


4. Tampe e aguarde! Mantenha o êmbolo para cima enquanto aguarda a infusão por aproximadamente 4 minutos e só então abaixe delicadamente o êmbulo até o final, prensando o pó de café. Seu café está pronto!



MODELOS DE PRENSA FRANCESA


Existe um infinidade de prensas com capacidade, design, características e PREÇOS diferentes.


A prensa da foto ao lado é da Hario (R$689). Além do design maravilhoso de parede dupla de vidro que ajuda a manter a temperatura do café por mais tempo e detalhes em couro.


Há modelos bem mais acessíveis também A Bialetti é uma das marcas mais conceituadas e conhecidas entre os amantes de café. Seu modelo clássico de 350ml está na faixa de R$221. A marca ainda oferece modelos mais modernos com um valor ainda melhor.

A French Press Smart com 1 litro de capacidade custa R$180 e vem com opções de cores (vermelha ou preta).

Há marcas brasileiras que oferecem modelos bem parecidos como a BODUM de 350ml que é vendida na faixa de R$160.




GRAOS DE CAFÉ


Aqui em São Paulo já existem muitas lojas especializadas em café que vendem os grão inteiros e oferecem moer os grãos na hora pra você.

- Starbucks

- UCoffee

- Isabela Raposeiras - Coffee Lab


A maioria vende os grãos online e entregam em todo o país.


MOEDOR DE CAFÉ

Existem várias marcas bem acessíveis no mercado. A minha favorita é da Hamilton Beach; apesar de não ser a mais barata, ela possui regulagem de moagem o que é ótimo para quem não tem muita experiência e um super diferencial.

Há marcas mais baratas e até mesmo modelos manuais, que exigem mais esforço e tempo.


Marcas e preços (média)

- Hamilton Beach (R$220)

- Cadence (R$100)

- Oster (R$120)

- Bialetti (R$230)


Um dos benefícios de ter o moedor é que a partir do grão inteiro, você possui a liberdade de escolher o processo que deseja usar, seja coado ou prensado.


Caso não tenha o moedor de grãos, dê preferência para comprar o grão moído em pequenas quantidades para obter melhores resultados. Lembre-se que após moído o grão oxida e perde parte de suas características.




83 visualizações0 comentário